Alopecia Androgenética Causas, Sintomas e Como Tratar 🥇

A calvície é uma condição bastante desagradável, que afeta majoritariamente aos homens e ela também é chamada de alopecia androgenética.

Esse problema tem uma relação direta com a presença de hormônios masculinos, especialmente a testosterona, lembrando que as mulheres também produzem esse hormônio, mas em uma quantidade menor.

É justamente por isso que os quadros de calvície em mulheres são bem menos frequentes e, quando acontece, são menos intensos.

O fato é que os cabelos possuem um ciclo de vida, marcado por fases como crescimento, repouso e queda.

Dessa forma, cerca de 90% dos cabelos estão na fase de crescimento. Assim, depois dessa fase, ele entra em repouso e depois cai, dando espaço para um novo fio que estará na fase de crescimento.

Vale lembrar que, por conta desse processo, perdemos cerca de 100 a 150 fios de cabelos diariamente e isso é algo considerado normal, sem risco de evoluir para calvície.

No entanto, quando o problema se acentua, é essencial procurar um médico para realizar um diagnóstico adequado, visto que a alopecia androgenética pode ter variadas causas.

Causas da alopecia androgenética

Causas da alopecia androgenética

A alopecia androgenética é um problema que tem duas principais causas, que são hormônios masculinos e hereditariedade. Em ambos casos há uma atrofia dos bulbos (folículos) capilares, que acelera a queda definitiva dos fios.

Além dessas duas causas mais comuns, também temos outra possíveis, tais como: a oleosidade, que é típica da dermatite seborreica; uso excessivo de produtos químicos; má alimentação; carência vitamínica; distúrbios de tireoide; estresse; e alguns tipos de alimentos.

No período pós-parto, alguns pós-operatórios e determinados tratamentos, como a quimioterapia, também pode acontecer queda dos cabelos, que pode ser intensa ou suave.

Nesses casos, ela é reversível, sendo que assim que a causa for tratada os cabelos voltam a crescer novamente.

Sintomas em homens

De uma forma geral, os primeiros sintomas da alopecia androgenética em homens aparece por volta dos 17 a 22 anos de idade.

Aos 17 anos, que é uma idade crítica para o quadro, os cabelos não costumam cair de uma vez só. Ao invés disso, ocorre uma queda lenta e contínua, que é persistente e irreversível, causada por genes que podem ser herdados do pai ou da mãe.

Normalmente, as primeiras falhas começam a aparecer perto da testa, sendo popularmente chamadas de “entradas”. Depois ocorre uma queda mais acentuada na “coroinha de padre” formando um círculo no topo da cabeça.

Por fim, sobram apenas os cabelos que ficam nas partes laterais da cabeça, com o topo completamente descoberto.

Quando os sintomas aparecem mais tardiamente, por volta dos 25 anos de idade, a queda é mais lenta e costuma ter uma melhor resposta ao tratamento.

Tratamentos para alopecia androgenética

Tirando os casos em que a queda de cabelos acontece por causa da hereditariedade, a alopecia androgenética pode ser evitada ou retardada.

Para isso, é preciso afastar o que é considerado um fator de risco e iniciar o uso de alguns medicamentos.

O Minoxidil, por exemplo, é um medicamento com ação vasodilatadora, utilizado em forma de loção de uso tópico. Ele atua de forma a bloquear a ação dos agentes derivados da testosterona no folículo capilar, além de acelerar o crescimento dos fios.

Seu uso também pode estimular o surgimento de pelos faciais e é por isso que ele é contraindicado para mulheres.

A finasterida é outra opção de tratamento para a alopecia. Inicialmente esse medicamento era utilizado para diminuir o tamanho da próstata, mas acabou se mostrando bastante eficaz para o problema da calvície hereditária.

Vale lembrar que mulheres férteis ou grávidas não pode ter contato com esse medicamento nem pelo toque, visto que ele pode causar a má formação fetal.

Em alguns outros casos, a realização de um implante capilar é a melhor forma de obter uma solução estética para a alopecia androgenética. Nesse caso, uma quantidade de fios de cabelo é retirada dos bulbos capilares que ficam nas laterais da cabeça, e reimplantados na área que apresenta as falhas.

Isso porque os bulbos capilares da lateral não estão sujeitos ao problema. Então, quando são reimplantados, eles carregam consigo a proteção necessária e podem se desenvolver fortes e saudáveis.

Cuidados com a alopecia androgenética

Alopecia androgenética antes e depois

Em alguns casos a queda de cabelos é um problema que merece uma atenção especial, por isso, é importante estar sempre atento.

Mais do que isso, é essencial lembrar que nem todos os tratamentos para alopecia androgenética são verdadeiramente confiáveis, embora alguns se digam milagrosos.

Então, sempre procure um médico dermatologista caso perceba que: os cabelos apresentam uma queda mais acentuada ou mais rápida do que o que vinha acontecendo nos últimos meses; se o couro cabeludo apresentar manchas avermelhadas, coçar ou arder; se aumentar a oleosidade; caso apareça caspa.

Por fim, o mais importante é sempre lembrar que a renovação dos fios tende a ficar mais lenda com o passar dos anos, como acontece com a maioria dos processos naturais do organismo,

Pronto, agora você já sabe um pouco mais sobre a alopecia androgenética, como funciona, sintomas e os cuidados importantes para tratar esse problema!

NOTÍCIA INÉDITA
Cápsula com fórmula revolucionária que promete pôr um fim definitivo na calvície e recuperar os cabelos perdidos chama a atenção dos homens de todo o Brasil. ⇒ CLIQUE AQUI E VEJA A MATÉRIA COMPLETA  

Deixe Seu Comentário