Alopecia Androgênica Masculina e Feminina [ Veja a Solução ]

Falando em relação à estética, a perda de cabelos é uma condição bastante desagradável. Ela afeta, em sua maioria, o público masculino e também é conhecida como alopecia androgênica.

O surgimento dessa condição tem uma relação direta com a presença de hormônios masculinos, principalmente a testosterona. Vale lembrar que o problema também pode afetar as mulheres, que também produzem a testosterona, mas em quantidade bem menor.

Assim, as calvície nas mulheres é um problema bem menos frequente e, quando acontece, sua intensidade tende a ser mais já moderada.

Para que fique mais fácil entender a alopecia androgênica, é preciso entender que os cabelos possuem um ciclo de vida, que é constituído pelas fases de crescimento, repouso e queda.

Cerca de 90% dos nossos fios de cabelo se encontram em fase de crescimento. Depois disso, eles entram na fase de repouso e caem em seguida, dando espaço a um novo fio de cabelo que nasce reiniciando o ciclo, pois está na fase de crescimento.

Assim, é normal que tenhamos uma perda de cabelos de 100 a 150 fios de cabelo diariamente e isso é considerado absolutamente normal, o que significa que não é um princípio de alopecia androgênica.

Por outro lado, quando a queda de cabelos se torna mais severa, é fundamental procurar um médico para fazer um diagnóstico adequado. Isso porque a alopecia androgênica pode ter causas variadas e o tratamento também pode variar de acordo com essa causa.

Então, se você está interessado e quer saber um pouco mais sobre esse problema, continue lendo e descubra tudo o que você precisa saber sobre o assunto.

Quais as causas da alopecia androgênica?

Principais causas da alopecia androgênica

De uma forma geral, a alopecia androgênica tem duas principais causas, sendo que uma delas é a genética mesmo e a outra é hormônio masculino.

Em ambos casos, o problema leva a atrofia do bulbo capilar de forma a acelerar o processo de queda definitiva dos fios de cabelo.

No entanto, além dessas duas causas que são as mais comuns, a alopecia androgênica também pode ser causada por fatores como oleosidade, carência vitamínica, má alimentação, problemas de tireoide, estresse, dermatite seborreica e outros.

Também não é incomum que o cabelo de mulheres caia no período pós-parto, bem como em alguns pós-operatórios, tratamentos de quimioterapia e uso de medicamentos.

Vale lembrar ainda que, nessas situações, a queda de cabelo tende a ser reversível por completo, desde que haja um tratamento para interromper o fator causador.

Tratamentos

Em alguns casos, a alopecia androgênica é um problema causado por uma condição genética, que infelizmente não tem cura. No entanto, com exceção dessa causa, é possível sim tratar, evitar ou retardar o avanço do problema.

Para isso, o primeiro passo é se livrar dos fatores que são considerados de risco, para que então o tratamento para alopecia possa ser iniciado com algum tipo de recurso.

O Minoxidil é um ótimo exemplo de remédio para a alopecia androgênica, que tem ação vasodilatadora. Ele é comumente utilizado em forma de loção, aplicada diretamente no couro cabeludo.

Mais do que isso, seu uso ainda pode estimular o crescimento de pelos na face. É por esse motivo que ele é completamente contraindicado para mulheres.

Outro medicamento bastante utilizado para o tratamento da alopecia androgênica é a Finasterida.

Inicialmente esse medicamento foi feito para o tratamento da próstata aumentada, mas com o uso, acabou se mostrando muito eficiente para o problema da calvície causada por questões genéticas.

É importante ressaltar que as mulheres grávidas ou férteis não devem ter nenhum tipo de contato com esse medicamento, nem mesmo pelo toque. Isso porque ele pode causar a má formação do feto.

Dependendo do caso, a melhor solução então pode ser a realização de um procedimento de implante capilar. Ele consiste na retirada de uma quantidade de cabelos que ficam nas laterais da cabeça, ainda com os bulbos capilares, para que sejam reimplantados da área que apresenta as falhas.

O procedimento é eficiente porque os folículos capilares das laterais do couro cabeludo não estão sujeitos a esse problema. Dessa forma, quando são reimplantados, eles levam consigo a sua proteção, podendo se desenvolver de forma saudável em outros pontos afetados da cabeça.

Principais cuidados com a alopecia androgênica

Alopecia androgênica tratamentos

A queda de cabelos é um problema que merece receber a devida atenção. Pro isso, todo o cuidado é pouco para evitar o problema ou para percebê-lo quando ainda estiver nos estágios iniciais.

Mais do que isso, é importante ressaltar que dos tratamentos oferecidos para a alopecia androgênica que são encontrados por aí, nem todos são eficientes de verdade.

Por isso, o mais indicado é sempre procurar um médico dermatologista se notar que os cabelos estão caindo em maior quantidade do que nos últimos tempos.

Cuidado também se sentir coceira no couro cabeludo, sensação de ardor, aumento da oleosidade e caspa.

Entenda que o processo de renovação capilar tende a ficar mais lento com o passar dos anos, sendo considerado um processo natural do organismo. Então, não é incomum que o cabelo fique mais ralo com a idade.

Pronto, agora você já sabe um pouco mais sobre o alopecia androgênica, como ela acontece e quais os cuidados fundamentais para o tratamento.

NOTÍCIA INÉDITA
Cápsula com fórmula revolucionária que promete pôr um fim definitivo na calvície e recuperar os cabelos perdidos chama a atenção dos homens de todo o Brasil. ⇒ CLIQUE AQUI E VEJA A MATÉRIA COMPLETA  

Deixe Seu Comentário