Alopecia Feminina Tem Cura? [Sintomas, Causas, Tratamentos]

Embora a alopecia feminina seja diferente da masculina, em alguns aspectos, o incomodo e a vergonha é igual para ambos.

A alopecia nas mulheres vem apresentando um crescimento nos últimos anos, e já atinge aproximadamente 57 milhões de mulheres, só no Brasil.

Este problema, quando atinge as mulheres, interfere diretamente na falta de autoestima, podendo levar a casos mais sérios de doença, como a depressão.

Este crescimento trouxe uma dedicação maior por parte de médicos e especialistas da área.

Por esta razão crescem também os estudos e as pesquisas em torno da alopecia feminina procurando melhorar as pesquisas em busca de um diagnóstico correto (quanto antes melhor) e um possível tratamento.

As causas para a alopecia feminina podem ser várias e os tratamentos também.

Como identificar a alopecia feminina?

Alopecia feminina o que é?

Em primeiro lugar é preciso deixar bem claro que é normal perder alguns fios de cabelo diariamente (em torno de 100 a 150 fios).  No momento da lavagem este número pode ser de até uns 250 fios.

Não se preocupe, isto está dentro dos padrões de normalidade de acordo com estudos realizados pela Academia de Dermatologia Americana.

É comum entre as mulheres que com o avanço da idade a perda dos fios aumentem um pouco. Porém é preciso estar atenta se esta perda não está deixando falhas visíveis.

Você poderá observar um aumentos de perda dos fios, quando houver aquele excesso na fronha do seu travesseiro, excesso na escova de cabelos ou no chão após se pentear.

Outro detalhe a ser observado, são pequenas falhas no couro cabeludo.

A calvície feminina costuma apresentar um percentual maior nas mulheres após os 45 anos de idade. Isto não quer dizer que não possa ocorrer antes disto.

Para um diagnóstico exato você deve procurar um profissional da área (dermatologista) que vai lhe orientar de acordo com o seu caso.

Quais as causas da alopecia feminina?

Como já foi dito, as causas para a alopecia feminina são variadas, mas as mais comuns são as seguintes:

  • Fatores hormonais

Fatores hormonais são comuns entre as mulheres e estudos comprovaram que a menopausa (durante e após) é um período que tem influência na perda dos fios de cabelo.

A síndrome do ovário policístico é uma doença onde o organismo fabrica mais hormônios (andrógenos) do que o necessário, afetando a saúde do couro cabeludo.

Deficiências na produção de hormônios também podem afetar a saúde dos cabelos resultando na perda dos fios até a calvície.

  • Genética

A genética é outro fator muito presente na alopecia feminina. É bem possível que se os pais ou parentes próximos apresentem o problema de calvície este gene seja herdado trazendo a mesma situação para o descendente.

  • Medicamentos

É muito importante informar ao médico, para ajudar no diagnostico, se você está tomando algum suplemento ou medicamento.

Alguns medicamentos apresentam efeitos colaterais como a perda de cabelo. Medicamentos anticoagulantes, antidepressivos e betabloqueadores são alguns exemplos.

Tratamentos para câncer também tem este efeito, embora na maioria dos casos sejam temporários e geralmente o cabelo volta a crescer após o término do tratamento.

  • Alimentação

Uma alimentação adequada é a base para uma vida saudável. Assim também é para a saúde dos cabelos.

Uma má alimentação pode acarretar em desnutrição, falta de vitaminas, sais minerais e outras necessidades do organismo. Casos mais severos de anemia (deficiência de ferro) podem resultar em perda acentuada dos fios de cabelo.

  • Disfunção da tireoide

Tanto o hipertireoidismo como o hipotireoidismo são disfunções da tireoide que podem causar a queda dos fios de cabelo.

  • Estresse

O estresse tem sido muito apontado como causa da alopecia feminina. A correria do dia a dia, cada vez mais compromissos e responsabilidades que a mulher tem assumido, tem cobrado o seu preço.

Um trauma emocional também pode desencadear uma perda acentuada dos fios de cabelo durante um período (as vezes até mesmo meses após ocorrido). Nestas situações a queda pode ocorrer em qualquer parte do couro cabeludo.

Neste caso, é aconselhável buscar ajuda (terapia, relaxamento) para conseguir retornar ao seu equilíbrio emocional.

  • Outras causas

Febre muito alta, infecções graves, organismo debilitado por um processo cirúrgico, psoríase, deficiência de vitamina A, seborreia e outros.

Como diagnosticar se é alopecia feminina?

Alopecia feminina como tratar?

Se você observou as instruções acima e desconfia que está perdendo mais fios de cabelos do que o normal, procure um dermatologista. Através de exames ele poderá identificar a causa e o tratamento adequado.

Especialistas da área relatam que muitas vezes a disfunção não está no couro cabeludo, mas a queda é consequência de outro problema do organismo, como por exemplo uma carência de determinada vitamina.

Quais os tratamentos para a alopecia feminina?

Como já dissemos o tratamento está diretamente ligado a causa. Por isso é tão importante descobrir a causa.

Os tratamentos para alopecia vão desde uma reposição de vitaminas ou hormônios até um implante capilar.

Não esqueça que cada caso é um caso, e tudo depende do diagnóstico que você vai receber.

Pronto, agora você já sabe um pouco mais sobre a alopecia feminina e que deve procurar ajuda médica logo que perceber os primeiros sintomas!

NOTÍCIA INÉDITA
Cápsula com fórmula revolucionária que promete pôr um fim definitivo na calvície e recuperar os cabelos perdidos chama a atenção dos homens de todo o Brasil. ⇒ CLIQUE AQUI E VEJA A MATÉRIA COMPLETA  

Deixe Seu Comentário